Autismo?

Autismo é uma disfunção global do desenvolvimento. É uma alteração que afeta a capacidade de comunicação do individuo de se socializar ( estabelecer relacionamentos) e de comportamento ( responder de maneira adequada ao ambiente). Esse distúrbio faz parte do grupo de síndrome chamada Transtorno Global do Desenvolvimento (TGD).

O transtorno ainda é muito estudado pela ciência, e requer pesquisas e um olhar sensível de toda sociedade, onde seja possível, observar, construir conhecimento e ter empatia

Segundo o livro “Segredos da Mente” o Brasil estima-se que haja dois milhões de caso de TEA, com números baseados em pesquisas internacionais. A mesma relata que esse número tende a crescer não em função da quantidade de casos, mais com a eficiência em que os diagnósticos têm sido feitos.

O Autismo apresenta comprometimento em três principais eixos:

  • Interação Social , pois se mostra indiferente ao ambiente Social.
  • Apresenta estereotipias, ações repetitivas, e interesses demasiados por algum objeto.
  • Apresenta linguagem comprometida, pode ocorrer ausência da fala ou mesmo uma fala sem contexto.

As mais comuns estereotipias:

  • Flapping ( movimento de balançar as mãos);
  • Rocking (Balanceio);
  • Pular de forma demasiada;
  • Olhar objetos que giram;
  • Repetir movimentos para frente e para trás;
  • Andar nas pontas dos pés;
  • Movimentar dedos e mãos na frente dos olhos.

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

O Diagnóstico é feito baseado pelo DSM-5º Edição do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtorno Mentais, e também pela classificação internacionais de Doenças (CID 10) Publicada pela Organização mundial de Saúde (OMS), para realizar o diagnóstico do TEA.

É fundamental que os profissionais que irão atender uma criança que seja um possivel autista tenham o conhecimento embasado em todos conteúdos acima listado para que ocorra um diagnostico diferencial.

COMO SABER QUAIS SÃO ESSES PROFISSIONAIS?

Procurar informações com um médico da sua confiança é essencial, seu plano de saúde ou o sistema único de saúde irá direcionar para um pediatra especialista no assunto. Segundo o Doutor Drauzio Varella cada paciente exige um tipo de atendimento especifico, e individualizado que requer a participação de pais, família e equipe multidisciplinar .

Pediatra, sem sombras de dúvidas esse é o primeiro profissional que deve ser procurado de imediato para tirar as duvidas fazer avaliações, entrevista com os pais e direccionar para outros profissionais que farão para da equipe multidisciplinar a fim de dar pareceres relevantes , mais a ultima palavra será sempre do médico pediatra o qual levará em conta toda investigação realizada. Além do Pediatra na equipe será necessário a presença de um psicólogo, um terapeuta ocupacional, o professor e pode ser relevante a equipe pedagógica da escola devido o preparo profissional e a ausência do envolvimento emocional.

Neurologista. A neurologia é a especialidade médica que trata dos distúrbios estruturais do sistema nervoso. As doenças mais comuns tratadas pelos neurologistas são as dores de cabeça, problema de memória, distúrbios dos movimentos, crises compulsivas e epilepsia. Segundo o doutor neurologista Carlos Gadia cofundador do TEAbraço autismo não é uma doença, é uma síndrome de origem genética, que afeta em diferentes níveis, a cognição, o comportamento, e a interação e que é mais comum do que se imaginava

O Psicólogo têm a função de observar e avaliar o comportamento que indicam sinais de comportamento de um TEA.

O Terapeuta Ocupacional , o processo na avaliação com esse especialista visa trabalhar as questões voltadas a integração sensorial , contribuindo para o desenvolvimento de varias habilidades.

O Professor dará seu parecer a partir de sua observação em sala de aula, levando em consideração, o comportamento, a presença de estereotipia , a concentração, aspectos relacionados a sua interação com outros alunos, e com ela, sua capacidade de resposta , concentração, aprendizagem , suas habilidades, seu envolvimento com o meio em que ele está inserido, sua disponibilidade em olhar e perceber o outro.

O Fonoaudiólogo a avaliação desse profissional é essencial, pois de 20 a 30% não são verbais.

Fisioterapeuta este profissional também trás uma grande contribuição, pois procura potencializar as funções motoras, e estimular acções básicas e a construir a noção de espaço, a e a coordenação motora. 

Todavia o olhar dos pais e responsáveis são fundamentais pois quanto mais rápido o diagnostico, mais cedo pode ocorrer o tratamento adequado o que resultara em melhor resultados quanto a construção da autonomia e habilidades essenciais para o cuidado pessoal e o processo de aprendizagem.

POSSÍVEIS CARACTERÍSTICAS

  • Não mantém contato visual;
  • Resistente a contato físico;
  • Apresenta hiperatividade;
  • Resistente ao aprendizado;
  • Apresenta risos e movimentos inapropriados;
  • Não se mistura com outras crianças;
  • Apresenta indiferença quanto a relacionamentos;
  • Usa as pessoas como instrumento;
  • Apresenta dificuldades de mudar de rotina;
  • Apresenta apego demasiado a objetos;

Agora você já sabe o que é o autismo, suas características, o que deve ser observado, quais os profissionais que devem acompanhar nesse processo. A rápida aprendizagem sobre as questões apresentadas fazem parte da introdução sobre o autismo, nos outros trabalhos aqui realizados apresentaremos as possíveis metodologias para cada criança e as linguagens alternativas para os não verbais, o autismo e a psicomotricidade entre outros temas. Até aqui agradeço a presença de todos os leitores neste espaço.

Referências Bibliográficas :

  • Segredo da Mente Autismo editora alto astral Ltda ano nº 1 Sindicato Nacional dos Editores de livros 2017 Rio de Janeiro
                                                                                                                                                                                                        
Este livro inovador, baseado no Modelo Denver de Intervenção Precoce em Crianças com Autismo (ESDM), é o primeiro livro que ensina a intervir de forma abrangente em recém-nascidos e crianças em idade pré-escolar.
Escrito com uma linguagem clara e ilustrado 
Quando falamos em autismo, muitos são levados à imagem de uma criança totalmente isolada, escondida em um canto da casa, fazendo movimentos giratórios com algum objeto e sem responder ao nosso chamado. Poucos, porém, sabem que o Transtorno do Espectro Autista divide-se em níveis de gravidade, com sintomas mais intensos ou mais