Dificuldade , Distúrbio e Transtorno

Dificuldade , Distúrbio e Transtorno  de aprendizagem?

A aprendizagem é algo distinto de cada um, e para ela ocorrer é necessário identificar como cada um aprende e como os fatores externo as afetam. Logo as dificuldades também podem ser ocasionada  pelo contexto do indivíduo e como ele reage. 

Em uma sala de aula nem sempre é fácil para o professor trabalhar todas as dificuldades de aprendizagem que aparecem, em função disso é fundamental um comprometimento de toda equipe pedagógica como também do profissional de psicopedagogia o qual poderá traçar caminhos para o sucesso deste aluno e levando uma contribuição para toda equipe.

Dificuldade de Aprendizagem  

É uma condição passageira e pode ocorrer  por vários motivos, tal como problemas familiares, condições de saúde, problemas emocionais e  diversos fatores externos.

Quais são as Causas?

  • Problemas familiares (violência doméstica, relacionamento conflitantes evasão escolar, má alimentação, metodologia utilizada, ambiente) entre outros.

Como tratar?

  • Metodologia adequada, escuta sensível para identificar qual a dificuldade do aluno, acompanhamento psicopedagógico, verificar possíveis conflitos familiares, realizar um trabalho lado a lado com a família, construir estratégias específicas para trabalhar com o aluno.

 Distúrbio de Aprendizagem

É uma  disfunção  neurológica no processo natural da aquisição da aprendizagem, também se trata de algo individual onde a pessoa  pode apresentar déficit nas habilidades da linguagem como: fala, leitura e escrita. O sujeito apresenta dificuldade em processar, armazenar e analisar as informações. Distúrbio de aprendizagem não é deficiência intelectual ela afeta certas funções, e na deficiência intelectual é afetado o indivíduo de maneira ampla as funções cognitivas.

Os Distúrbios de aprendizagem mais comuns são:

  • Distúrbio da expressão escrita.
  • Distúrbio da Leitura.
  • Distúrbio envolvendo a capacidade de matemática

Os distúrbios,  da leitura e escritas ocorrem no período da alfabetização e se caracteriza na dificuldade da leitura e da escrita. Quando a criança têm contato com sons, fonemas e representação gráfica. Segundo ,  “Morais(2003) No que se refere à escrita, pode-se afirmar que este ato é o inverso da leitura. Se na leitura se estabelece uma relação entre palavra impressa – som – significado, na escrita a relação estabelecida é entre o som – significado e palavra impressa.( que é o que se escreve)”.

 A escrita deve ser valorizada no processo de aprendizagem pois ela levará o aprendente  a codificar os sinais que o levaram a exercitar a leitura

Transtorno de Aprendizagem

De acordo com o DSM V, o transtorno específico de aprendizagem é um transtorno de neurodesenvolvimento, com uma origem biológicas que é a base das anormalidades do nível cognitivo e são associadas com questões comportamentais.

Os distúrbios e os transtornos são de motivos internos. Em todos os casos requer o acompanhamento especializado, porém os distúrbios e transtornos independem do desejo do indivíduo, sendo necessário a intervenção especializada para que este alcance seus objetivos.

Quais São Os Transtornos de Aprendizagem?

Dislexia –  Quem descreveu esses distúrbios de leitura pela primeira vez, foi James Kerr em 1896. Sua origem ocorre de lesões cerebrais e alterações cromossômicas. A palavra DISLEXIA tem origem do latim que significa “mal”, e lexia, que significa “leitura”, portanto dificuldade de leitura. Portanto dislexia é um distúrbio na leitura que acarreta dificuldades também na escrita. A dislexia não ocorre por conta de causas educativas. Normalmente,  é detectado na fase da alfabetização, período em que a criança inicia o processo de leitura de texto, devido a dificuldade do aluno em aprender o código gráfico.

Disgrafia – A disgrafia é caracterizada por problemas com a linguagem escrita, dificuldade de comunicar ideias e de demonstrar conhecimentos por meio desse canal de comunicação específico.

Os sinais podem aparecer nos primeiros anos de vida, os quais podem sugerir que elas podem se tornar Disgráficas. Pode-se observar: Teve atraso do desenvolvimento da marcha? Dificuldade em subir e descer escadas? Dificuldade para andar sobre  bases desnível ou em balanço? Dificuldade em aprender a andar de bicicleta? Dificuldade no uso da tesoura?

Na escola pode-se observar: Possui letra feia? Demora muito mais para fazer uma tarefa do que outras crianças? Retoca as letras muitas vezes? Apresenta má organização da página? Faz inversão de sílabas? Faz escritas de letras espelhadas? Faz escrita contínua ou com separação incorreta?

Como ajudar?

Reconhecer a necessidade do aluno, procurando o entendimento com a família para que esta trabalhe com parceria, da escola procurando estimular e realizar as atividades necessárias com o aluno . Na disgrafia é necessário realizar exercícios grafomotores, sendo possível o aluno deverá realizar as atividades com um profissional. Os exercícios visam trabalhar a coordenação motora e o domínio das mãos ao utilizar o lápis sobre um papel,  exercícios pontilhados, atividades que ligam um ponto ao outro a fim de desenvolver as habilidades necessárias. A maneira como a criança segura o lápis podem ocasionar dor e fadiga na mão, todas essas observações devem ser analisados a fim  de ser trabalhado de maneira que a escrita não lhe cause danos.

Discalculia – É uma desordem neurológica específica que afeta a habilidade de compreender e manipular os números. Não é uma deficiência mental e não têm nada a ver um QI ou inteligência. 

A criança com discalculia, apresenta dificuldades em identificar  sinais matemáticos, montar operações, classificar números, entender princípios de medidas. seguir sequências,  compreender conceitos matemáticos e relacionar o valor de moedas entre outros.

Disortografia – é uma dificuldade de fazer uma associação entre os fonemas (som das letras)  e os de grafemas ( escritas das letras). Tais dificuldades ao persistir no primeiro ano do ensino fundamental, pode-se dizer que apresenta disortografia. Assim sendo disortografia, é a falta de habilidade de escrever sem erros ortográficos. Sua características é a confusão entre letras, sílabas e palavras escritas. Pode-se observar: Faz adições de sílabas como ventilar/ventitilador? , Faz omissões de letras, como cadeira/cadera? Faz contaminação de sílabas, como pipoca/pipoca?

Dislexia Está afeta a habilidade básica de leitura e linguagem. Ensinar uma criança com transtornos de aprendizagem requer um olhar sensível capaz de identificar não apenas as questões pedagógicas as quais fazem parte do currículo, mas de observar as habilidades de audição, visão e memória. Segundo especialistas a dislexia é genética e hereditária, se a criança possuir pais ou outros parentes disléxicos quanto mais cedo for realizado o diagnóstico melhor para os pais, a escola e a própria criança.

Possíveis sintomas do disléxico:

  •  Inversões letras, sílabas, palavras, frases.
  • Omissões: Letras, sílabas, palavras,linhas.
  • Não corta o “T”
  • Não pinga o “i”
  •  Espelhamento resistente (além de cinco anos) de números e letras;
  • Não soletra, não analisa nem sintetiza a palavra, decompondo-a em letras;
  •  Dificuldades na coordenação e ritmo;
  • Confusões na leitura. Ex.: esguia/estria, mamadeira/madeira, aflição/afiliação,
  • conversa/conserva, aquece/esquece;
  • Neografismos (cria letras que são a somatória de duas ou mais, como /d/ cortado;
  • Neologismos (na fala, inventa palavras. Ex.: infestado = arrumado para uma festa);
  • Disgrafias (letra ilegível e irregular, com padrões regulares e previsíveis, como /a/

aberto ou cortado);

  •  Dificuldades na leitura de palavras (erros de decodificação, lê errado embora
  • entenda o que leu);
  •  Dificuldades em acompanhar as linhas, tendo que auxiliar com os dedos ou régua;
  •  Dificuldades em ler com os olhos, sem movimentar a cabeça junto;

TDAH ( Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade)

É um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Se caracteriza pela combinação de sintomas como desatenção, hiperatividade, impulsividade e desatenção. Os sintomas comum são: Desatenção, deixa de prestar atenção nos detalhes,  têm dificuldade de manter o foco, dificuldade de organizar as tarefas, se distrai com facilidade.

Atividades que contribuem com a criança com TDAH

  • Coloque limites, mas sem severidade, promova a autonomia da criança;
  • Crie regras simples e diretas;
  • O estimule a realizar atividade física;
  • Manter uma comunicação prática com os pais é fundamental, pois se houver um trabalho mútuo em casa e na escola a chance de sucesso é mais provável;
  • Construa um ambiente tranquilo para os estudos.
  • O tratamento se varia em cada situação, mais segundo especialistas a medicação é  a primeira escolha.

https://lumiar-psicopedagogia.blogspot.com/2009/06/disturbio-transtorno-ou-dificuldade.html#comment-form

http://www.clinicajorgejaber.com.br/2015/estudo_supervisionado/dsm.pdf DSMV MORAES, Paula Louredo. “Discalculia, sintomas, causas e tratamento”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/discalculia.htm. Acesso em 21 de julho de 2019.

MORAIS,Antonio Manuel Pamplona.  Distúrbios de Aprendizagem uma abordagem psicopedagógica.  10º edição.São Paulo.Edicon. 2003.

BARBOSA.Jossandra.Portfólio Psicopedagógico. Instrumentos de Avaliação Orientação Material Administrativo.1ºEdição.https://gosniply.com/site/5d37b09b76ae560e4b56b555.js

Transtornos da aprendizagem: abordagem neurobiológica e multidisciplinar, 2.ed. reúne destacados profissionais da área da saúde e de áreas relacionadas ao tema para compartilhar seus conhecimentos e experiências sobre os aspectos que interferem no aprendizado e também sobre como abordar esses transtornos